Sessão Nostalgia: frases memoráveis

 

Depois de dois anos, este é o último post da Sessão Nostalgia. Acredito que consegui publicar os maiores comerciais brasileiros de várias épocas, principalmente as que marcaram a minha infância (entre o final dos anos 80 e início dos 90). Para encerrar em grande estilo, resolvi prestar uma homenagem aos momentos inesquecíveis proporcionados pelo intervalo comercial. Essa lista foi construída com a ajuda dos meus seguidores no Twitter.

Shampoo Colorama

Este comercial passou na década de 70, mas até hoje a fala da modelo “você se lembra da minha voz? Continua a mesma, mas os meus cabelos? Quanta diferença!” é repetida algumas vezes em programas de TV e até mesmo pessoas no dia-a-dia.


Deu duro? Tome um Dreher

Às vezes, a pergunta é feita em momentos tão inusitados quanto o mostrado no vídeo.

Tomou Doril? A dor sumiu.

Quando eu via em uma barraca uma caixa de Doril, a pergunta sempre vinha à minha cabeça e, certamente, acontecia a mesma coisa com muita gente.

“Quero fazer cocô na casa do Pedrinho”

Quem disse que coisa ruim também não fica na memória? A dublagem bizarra e a fala estranha do garoto que só fazia cocô em casas alheias viraram piada, gozação e tudo o que você poderia imaginar. Um amigo confessou que, quando precisa comprar um aromatizante, escreve “Pedrinho” na lista de compras.

“Nã nã nãããã”

Na época que fiz o Top 5 de comerciais de cerveja, ele não entrou, mas com certeza divertiu muita gente e irritou tantas outras com a voz dos caranguejos que aprontavam mil confusões do barulho em apenas 30 segundos.

“James, o garoto está com sede!”

A forma como a mãe chama o mordomo para servir um belo copo com suco feito de Tang para o filho mimado foi citado com certa freqüência pelos meus seguidores. Pena que não encontrei no Youtube comercial com estes personagens. Ah, e o “quero mais” também não fica de fora.

“Vitrola! Hein?”

A Skol apareceu muitas vezes nessa sessão, mas nunca achei o comercial onde dois velhinhos conversam e esse micro diálogo é dito no final do vídeo.

“Nós viemos aqui para beber ou conversar?”

Tenho impressão de que esta pergunta também foi feita em comercial mais recente, mas encontrei esta pérola veiculada em 1974 pela Antarctica. Frase que está presente nas mesas de bar até hoje.

“Não é uma Brastemp”

Foi um dos mais citados pelos meus seguidores. E a campanha, como disse Olivetto, tornou-se parte da cultura popular e era usado para tudo que tivesse qualidade inferior.

“Coompre Baton”

O campeão de citações e recall entre os meus seguidores. Na minha infância, sempre imitava a fala para pedir o chocolate. E a menina era bem convincente, não acha?

Agora é sua vez: deixe nos comentários quais foram os seus momentos inesquecíveis proporcionados pela publicidade brasileira e ajude a melhorar a lista.

Blog Widget by LinkWithin
The following two tabs change content below.

Caio Costa

Editor-chefe at Blogcitário
Publicitário, Diretor da Orfeu Comunicação e editor-chefe do Blogcitário, seu blog de publicidade.
 
 

Comentários no Facebook

24 comentários

  1. Fabio Rebouças
     

    “O primeiro sutiã a gente nunca esquece” da Valisere, “Quem bate? É o friiio!” das casas Pernambucanas…

     
  2. Fabio Rebouças
     

    “Uma boa ideia!”, da 51…

     
  3. A propaganda do guaraná antartica “pipoca com guarana” lembro da musica toda vez que vou comprar guaraná ou arrebentar pipoca

     
  4. ‘Que dureza!’ [Dreher]

    🙂

     
  5. Impossível não lembrar do “Bombril: tem mil e uma utlidades”! xP

     
  6. Impossível não lembrar do “Bombril: tem mil e uma utilidades”! xP

     
  7. Impossível não lembrar do “Bombril: tem mil e uma utilidades”! xP

     
  8. “O primeiro sutiã a gente nunca esquece” da Valisere, “Quem bate? É o friiio!” das casas Pernambucanas…

     
  9. Junior Ferraz
     

    Como se esquecer do reclame “Denorex…..Parece mas não é!”….E essa da UsTop “Bonita camisa Fernandinho”

     
  10. Acho que faltou o da Sukita: Obrigada Tio! era muito bom…A da Antártica como já foi citada tb é inesquecível: pipoca na panela começa a pipocar, pipoca com sal que sede que dar, pipoca e guarana, que programa legal! rs

     
  11. Só uma correção sobre a propaganda da Tang, o nome do mordomo não é “James”, é “Jaime”.
    Se puder colocar as propagandas dos cigarros hollywood…

     
  12. Impossível não lembrar do “Bombril: tem mil e uma utilidades”! xP

     
  13. O inesquecivel “Tomou?” da Parmalat e seus Mamiferos

     
  14. A primeira faz tchan, a segunda faz tchan e a terceira faz tchan tchan tchannnn!!! #gillete

     
  15. Excelentes…

    Hoje parece que é mais difícil criar frases que grudem feito chiclete como essas aí de cima.

     
  16. “Hoje parece que é mais difícil criar frases que grudem feito chiclete como essas aí de cima.”

    Acredito que seja por que hoje os publicitários estão estudando muito e pensando pouco…vamos estudar sim, é muito importante estudar, mas vamos pensar mais, é mais importante pensar.

     
  17. RedBull te dá aaasas!

    Porque você merece! (Loreal Paris) frase muito plagiada aqui na minha cidade…

    e Use e abuse C&A

     
  18. maria de fátima gomes
     

    E aquela da VARIG ? foi cantando
    Seu Cabral vinha navegando quando alguém logo foi gritando: terra à vista !
    A turma gritava: bem vindo Seu Cabral
    Pausa

    Mas Cabral sente no prito
    uma saudade sem jeito
    volto já pra Portugal
    quero ir pela VARIG
    VARIG ! VARIG ! VARIG !

     
  19. gosto muito daquele beeeeeeeeeem antiga das balas Kids:
    RODA RODA, RODA O BALEIRO ATENÇÃO!
    QUANDO O BALEIRO PARAR PÕE A MÃO…
    PEGUE A BALA MAIS GOSTOSA DO PLANETA, NÃO DEIXE QUE A SORTE SE INTROMETA.
    BALA DE LEITE KIDS, A MELHOR BALA QUE HÁ.. BALA DE LEITE KIDS, QUANDO O BALEIRO PARAR………
    e tinha a imagem do baleiro rodando….rs..

     
  20. “Pirulito que bate bate, pirulito que já bateu…” propaganda do pirocoptero

     

Deixe um comentário

 

 

 

© Blogcitário - o seu blog de Publicidade, marketing, viral e guerrilha. Todos os direitos reservados.

Rodando sob Wordpress. Layout e Programação por Hilder Santos.

Follow @blogcitario